Desafio da Sustentabilidade

Programa de Inovação do Ministério da Educação em prol da eficiência do gasto público

Apresentação

O Desafio da Sustentabilidade é um programa de inovação do Ministério da Educação que objetiva impulsionar a eficiência do gasto público nas Instituições Federais de Ensino (IFEs). Iniciado em 2014, esse programa está direcionado a inovações que proporcionem eficiência nos gastos com água e energia elétrica nessas IFEs.

Para isso, o Desafio da Sustentabilidade foi estruturado em 4 fases, a saber: (1) identificação de soluções inovadoras por meio de consulta pública; (2) recomendação às IFEs para implementação dessas soluções; (3) avaliação periódica da obtenção de resultados; e (4) estímulo e acompanhamento da implementação projetos inovadores de alto impacto para eficiência do gasto público.


Identificação colaborativa de soluções (consulta pública)

Torneira aberta
Como reduzir os gastos com o consumo de água nas instituições de ensino
Lâmpada apagada, sol brilhando atrás da lâmpada
Como reduzir os gastos com o consumo de energia nas instituições de ensino?
Ícone relógio Finalizado em: 03/02/2015 às 18 horas
Ícone troféu Prêmio: R$5.000,00 (1º colocado), R$2.500,00 (2º colocado), R$1.500,00 (3º colocado) e R$1.000,00 (4º colocado) Finalizado em: 03/02/2015 às 18:00:00
Ícone troféu Premiação para Instituto Federal de Ensino: R$3.000.000,00 (1º lugar) e R$1.000.000,00 (2º lugar)
Ícone troféu Premiação para Universidade Federal: R$3.000.000,00 (1º lugar) e R$1.000.000,00 (2º lugar)

A identificação de soluções inovadoras foi realizada por meio de uma consulta pública na modalidade de concurso. Essa consulta ocorreu entre novembro de 2014 e fevereiro de 2015 e obteve 18.277 ideias para reduzir gastos com água e energia elétrica nas IFEs.

Ao todo, 13.525 pessoas – representando 100% das Universidades Federais e Institutos Federais de Ensino, realizaram 3,7 milhões de interações na plataforma adotada pelo programa denominada PrêmioIdeia, enviando, curtindo e comentando ideias.

Ao final dessa fase, as instituições e os participantes que obtiveram maior pontuação foram premiados no Congresso Internacional de Inovação na Educação do Setor Público (CIGISP), realizado em Abril de 2015. Ao todo, foram destinados R$ 8 milhões em prêmios para as instituições vencedoras investirem em ações de eficiência do gasto em água e energia.

Confira abaixo as fotos da cerimônia de premiação ocorrida no CIGISP 2015.


Cerimônia de premiação dos ganhadores no Congresso Internacional de Gestão de Inovação da Educação do Setor Público

Recomendação das ações às IFEs

As propostas recebidas pela população foram avaliadas, priorizadas e organizadas na "Coletânea do Desafio da Sustentabilidade".

Essa coletânea possui 58 soluções para redução de gastos com água e 50 soluções para redução de gastos com energia elétrica nas IFEs. Tais soluções foram recomendadas, por uma equipe interdisciplinar, a todas as IFEs brasileiras para que essas possam inovar na eficiência do gasto público com água e energia elétrica.

O lançamento dessa coletânea ocorreu por meio da publicação da Portaria Ministerial n°. 23 em 12 de fevereiro de 2015 (acesse aqui).

Diagnóstico de implementação das ações

Duas pessoas analisando um gráfico

O Ministério da Educação realizou junto às IFEs um diagnóstico objetivando avaliar a adoção de ações de eficiência do gasto público com água e energia elétrica nas IFEs no ano de 2015. Ao todo, 98 instituições participaram fornecendo informações sobre a adoção e obtenção de resultados com 16 soluções. Veja nos gráficos a seguir os resultados desse diagnóstico.

O resultado completo desse diagnóstico está contido no "Anuário de Eficiência do Gasto Público com Água e Energia Elétrica nas IFEs – Ano de 2015" e disponível aqui.


Utilização de sistema de aquecimento solar pelas IFEs


Sistema composto basicamente de caixa d'água, reservatório de água térmica e coletores solares capaz de aquecer água para utilização em chuveiros, cozinhas, aquecimento de ambientes, piscinas, entre outros.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 11,2% das IFEs utilizam sistema de aquecimento solar; 83,7% das IFEs não utilizam sistema de aquecimento solar; 5,1% não responderam
Utilizam sistema solar de aquecimento de água
Tabela: 15,8% adotam a menos de 1 ano; 52,6% adotam entre 1 e 3 anos; 31,6% adotam a mais de 3 anos
Não utilizam sistema solar de aquecimento de água
Gráfico: 46,3% estão realizando estudos para implantação; 53,7% não priorizam ou não tem interesse na implantação

Consumo consciente de água e energia


Ações que geram sensibilização nos usuários e fazem com que novos hábitos sejam adotados. Podem ser feitas na forma de cursos, instruções e treinamentos, dentre outros.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 70,4% das IFEs adotam consumo consciente de água e energia; 25,5% das IFEs não adotam consumo consciente de água e energia; 4,1% não responderam
Adotam o consumo consciente de água e energia
29% adotam a menos de 1 ano; 44,9% adotam entre 1 e 3 anos; 26,1% adotam a mais de 3 anos Universidade Federal de São Paulo teve uma redução de 15% no consumo

Adaptação em sua estrutura física para economia de água e/ou energia


Ações voltadas aos usuários das IFEs com o intuito de gerar sensibilização e consumo consciente dos recursos.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 65,3% das IFEs adaptam suas estruturas físicas; 32,7% das IFEs não adaptam suas estruturas físicas; 2% não responderam
Incentivam o consumo consciente de água e energia
15,6% adotaram a menos de 1 ano; 31,3% adotaram entre 1 e 3 anos; 53,1% adotaram a mais de 3 anos
Não incentivam o consumo consciente de água e energia
Gráfico: 6,2% está em fase de implantação; 93,8% estão realizando estudos para implantação

Técnica de otimização de irrigação


Utilização de técnicas que permitam melhor aproveitamento da água na irrigação evitando desperdícios.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 46,9% das IFEs utilizam técnicas de irrigação; 44,9% das IFEs não utilizam ténicas de irrigação; 8,2% não responderam
Utilizam técnicas de otimização
IFRN obteve uma economia de 3 mil reais; IFAL obteve uma economia de mil e quinhentos reais 6,5% adotaram a menos de 1 ano; 37% adotaram entre 1 e 3 anos; 56,5% adotaram a mais de 3 anos
Não utilizam técnicas de otimização
Gráfico: 2,2% está em fase de implantação; 50% estão realizando estudos para implantação; 47,8% não priorizam ou não interessam implantar

Central de água purificada


Central que trata e concentra toda água utilizada na instituição. A água é tratada e pode ser reutilizada em todas as demandas de água não potável da instituição.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 14,3% das IFEs possuem central de água purificada; 79,6% das IFEs não possuem central de água purificada; 6,1% não responderam
Utilizam centrais de água purificada
50% adotaram entre 1 e 3 anos; 50% adotaram a mais de 3 anos
Não utilizam centrais de água purificada
Gráfico: 55,2% estão realizando estudos para implantação; 44,8% não priorizam ou não interessam implantar

Manutenção de equipamentos hidráulicos e elétricos


Identificação preventiva de falhas e desgastes nos sistemas de água e energia para correção, sem necessidade de reposição de materiais defeituosos.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 77,6% das IFEs fazem manutenção de equipamentos hidráulicos e elétricos; 16,3% das IFEs não fazem manutenção; 6,1% não responderam
Fazem manutenção preventiva e corretiva
em equipamentos
Não fazem manutenção preventiva e corretiva em equipamentos

Técnica de reutilização de água


Reaproveitamento de água em atividades que não requerem água potável (vinda da concessionária). Pode ser utilizada na lavagem de pisos, rega dos jardins, descarga do banheiro, entre outros.

Mais detalhes da pesquisa
39,8% das IFEs reutilizam a água; 55,1% das IFEs não reutilizam a água; 5,1% não responderam
Reutilizam água
30,8% adotaram a menos de 1 ano; 25,6% adotaram entre 1 e 3 anos; 43,6% adotaram a mais de 3 anos
Não reutilizam água
Gráfico: 7,4% está em fase de implantação; 83,3% estão realizando estudos para implantação; 9,3% não priorizam ou não interessam implantar

Estimulação de boas práticas para economia de água e energia


Estímulo a ações individuais que sejam capazes de reduzir gastos com água e energia. Podem ser feitas direcionadas tanto ao corpo discente, aos docentes e ao pessoal administrativo das instituições.

Mais detalhes da pesquisa
69,4% das IFEs estimulam boas práticas para economia de água e energia; 25,5% das IFEs não estimulam; 5,1% não responderam
Praticam execuções simples
16,2% adotaram a menos de 1 ano; 45,6% adotaram entre 1 e 3 anos; 38,2% adotaram a mais de 3 anos
Não praticam execuções simples
Gráfico: 8% está em fase de implantação; 92% estão realizando estudos para implantação

Aquisição de equipamentos com menor consumo de água e energia em troca de modelos ineficientes ou ultrapassados


Troca de equipamentos ineficientes e com tecnologias ultrapassadas, bem como priorização por equipamentos de menor consumo de água e energia nos processos de compra. A aquisição de aparelhos e equipamentos que consumam menos água e energia auxilia na redução de gastos de forma significativa.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 83,7% das IFEs adquirem equipamentos que consomem menos água e energia; 10,2% não adquirem; 6,1% não responderam
Modernizam aparelhos e equipamentos
IFRN economizou mil reais com água; IFTO economizou 250 reais com água; IFGO economizou 200 reais com água; IFBA economizou 14 mil reais com água IFRN economizou 2 mil reais com energia; IFTO economizou 4 mil reais com energia; Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará economizou 10 mil reais com energia; IFSE economizou 2 mil reais com energia

Utilização de água oriunda de poço artesiano


Promover o estudo hidrográfico de cada campus para identificar a viabilidade de perfuração de poços para extração de água. A água extraída pode ser usada em todas as demandas da instituição.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 59,2% das IFEs utilizam água de poços artesianos; 33,7% das IFEs não utilizam; 7,1% não responderam
Possuem poços artesianos
IFRN economizou 45 mil reais com energia; IF sul de Minas economizou 5 mil reais com energia; Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará economizou 3 mil com energia; IFG economizou 12 mil com energia; UFRR economizou 90 mil com energia; Universidade Federal do Pampa economizou 1 mil reais com energia 3,4% adotaram a menos de 1 ano; 13,8% adotaram entre 1 e 3 anos; 82,8% adotaram a mais de 3 anos
Não possuem poços artesianos
Gráfico: 18,2% está em fase de implantação; 42,4% estão estudando a implantação; 39,4% não priorizam ou não tem interesse na implantação

Registro do consumo e gastos de energia elétrica e/ou água por centro de custo


Realiza registro do consumo e gastos de energia elétrica e/ou água por prédios por exemplo.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 31,6% das IFEs efetuam registro de consumo por centro de custo; 60,2% das IFEs não efetuam; 8,2% não responderam
Registram individualmente
IFRN economizou 1 milhão de reais com energia; IFC economizou 250 mil reais com energia; Unifesp economizou 32539 reais com energia; IFBA economizou 1 milhão e 400 mil reais com energia; IFAL economizou 100 reais com energia 25,8% adotaram a menos de 1 ano; 32,8% adotaram entre 1 e 3 anos; 42 % adotaram a mais de 3 anos
Não registram individualmente
Gráfico: 15,3% está em fase de implantação; 59,3% estão estudando a implantação; 25,4% não priorizam ou não tem interesse na implantação

Painéis fotovoltaicos


Painéis solares que captam energia solar e a convertem em energia elétrica. A energia gerada pode ser utilizada para suprir qualquer necessidade na instituição.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 11,2% das IFEs utilizam painéis fotovoltaicos; 81,6% das IFEs não utilizam; 7,2% não responderam
Utilizam painéis fotovoltaicos
36,4% adotaram a menos de 1 ano; 45,5% adotaram entre 1 e 3 anos; 18,1% adotaram a mais de 3 anos
Não utilizam painéis fotovoltaicos
Gráfico: 16,2% está em fase de implantação; 77,5% estão realizando estudos para implantação; 6,3% não priorizam ou não tem interesse na implantação

Capacitação de servidores e funcionários


Ações que geram sensibilização nos usuários e fazem com que novos hábitos sejam adotados. Podem ser feitas na forma de cursos, instruções e treinamentos, dentre outros.

Mais detalhes da pesquisa
Gráfico: 58,2% das IFEs capacitam servidores e funcionários; 37,7% das IFEs não capacitam; 4,1% não responderam
Utilizam capacitação no contexto de economia
com água e energia
15,8% adotaram a menos de 1 ano; 52,6% adotaram entre 1 e 3 anos; 31,6% adotaram a mais de 3 anos
Não utilizam capacitação no contexto de economia
com água e energia
Gráfico: 10,8% está em fase de implantação; 89,2% estão estudando a implantação

Estímulo e acompanhamento da implementação de projetos inovadores de alto impacto para eficiência do gasto público

Com a identificação das soluções que proporcionaram maior impacto na eficiência do gasto público, Instituições Federais de Ensino estão organizando em parceria com outros órgãos públicos e iniciativa privada, o desenvolvimento de projetos estratégicos de alto impacto, que inclusive poderão posteriormente ser replicados nas demais IFEs.

Como exemplo, cita-se a criação de usinas de minigeração fotovoltaica com capacidade aproximada de 5MWh – o que permitirá reduzir em até 100% os gastos de IFE com energia elétrica, a substituição de equipamentos elétricos por versões mais modernas e econômicas, e a criação de instrumentos colaborativos de apoio à gestão estratégica e ao desenvolvimento institucional.

Realização


Apoio

Logo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Ministério do planejamento; Ministério de Minas e Energia
Logo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Ministério do planejamento; Ministério de Minas e Energia